Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Aula: Amizade - Juventude

Tema: Amizade

Objetivos:

Informativos: Informar aos jovens a importância da amizade; necessidade de viver em sociedade – relacionamento com as pessoas de nosso cotidiano – Conquistar e manter amigos.

Formativos: Desenvolver o sentimento de altruísmo e gratidão para com os amigos – caridade – bem-estar.

Incentivação Inicial: (10’)

Dinâmica de confiança no amigo Cada jovem ficará de pé, sendo que o primeiro se posiciona atrás do segundo, que por sua vez deixará o corpo cair, confiando que o amigo vai segurá-lo.

Desenvolvimento: (30’)

Será solicitado a cada jovem escrever quem é o seu melhor amigo e por quê? Assim que terminarem, pediremos a cada um que leia seu texto para discussão entre a turma dos motivos que os levaram a escolha. O objetivo é enfatizar os sentimentos de amor, gratidão, compaixão e caridade.

Logo após, definir em conjunto com os jovens:

O que é amizade?

Definir os bons amigos.

Fixação: (10’)

Tocar faixa 9 do CD Momento Espírita. “A Ação da Amizade”

Através de perguntas e respostas

Leitura do texto:

AMIGOS SÃO FLORES E POEMAS

Amigos são flores...

São flores plantadas ao longo do nosso caminho para que saibamos encontrar primavera o ano todo.

Quando o outono chega, cheio de beleza e melancolia, os amigos estão presentes nos trazendo alegria.

E, quando o inverno vem frio e escuro, trazendo saudades e noites longas, os amigos nos trazem calor e luz com o brilho da sua presença.

Essas flores belas perfumam nossa existência e nos fazem ver que não estamos sozinhos.

Se amigos são flores que duram um ano ou um dia não faz diferença, porque o importante são as marcas que deixam nas nossas vidas.

São as horas compartilhadas, horas de carinho, horas de amor e cuidado.

Um amigo que se doa sem esperar um retorno, que se entrega pelo prazer de ver a felicidade do outro, é uma flor que merece cuidados especiais; um ser grande e importante que nos emociona só pelo fato de existir.

É alguém que consegue chegar até nossa alma... É um presente de Deus.

Se todo o mundo nos virar as costas e, no meio desse mundo, uma flor, nem que seja uma única flor de amizade nascer em nosso jardim, então toda a vida já terá valido a pena.

Amigos são poemas...

Os verdadeiros amigos são a poesia da vida. Eles enchem nossos dias de cores, rimas e risos, e nos seguram a mão quando caminhar parece difícil.

Eles nos mostram que mesmo em dias nublados o sol está no mesmo lugar, e nos ensinam que a chuva pode ser uma canção de ninar nas noites solitárias e vazias.

Um amigo é alguém que nunca nos deixa só, mesmo quando não pode estar presente, pois sabemos que um pedacinho do seu coração está conosco.

Um amigo é alguém que pensa na gente mesmo estando separado por mil mares...

É alguém por quem a gente sabe que vale a pena viver...

Um amigo nem sempre diz sim, quando dizemos sim, e não, quando dizemos não. Mas ele vai nos fazer entender com mais clareza aquilo que não conseguimos entender sozinhos.

Um amigo é um bem precioso que não devemos deixar guardado numa caixinha de jóias, para usá-lo quando precisamos, mas tê-lo sempre presente junto a nós, mostrando ao mundo que riqueza mesmo é ter um verdadeiro amigo.

* * *

Amigos são flores...

Amigos são poemas...

Como flores, devem ser cultivadas com carinho e dedicação, para que as tempestades da vida não esfacelem suas pétalas e para que possamos ter seu perfume em todas as estações.

Como poemas, devem ser sentidos nas fibras mais sutis da alma, com respeito e gratidão, para que sejam a melodia risonha a embalar nossas horas em todos os períodos do ano.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base nas mensagens intituladas “Amigos são flores” e “Amigos são poemas”, de autoria de Letícia Thompson, encontráveis no site: http://www.leticiathompson.com

Amigas sempre

A mãe estava muito preocupada com sua filha. Ela normalmente não se atrasava desde a escola até em casa. O caminho não era muito longo, nem perigoso.

Finalmente, a menina apareceu. Com voz zangada, a mãe pediu que explicasse o atraso.

Ela disse:

- Mamãe, eu estava vindo a pé com minha amiga Julie. No meio do caminho, ela deixou cair a boneca, que se partiu em mil pedaços.

Arrependida da quase bronca que dera à filha, a mãe perguntou:

- Ah, meu bem. Entendi: você se atrasou porque foi ajudar Julie a tentar colar os pedaços da boneca?.

Com voz inocente, a filha respondeu:

- Não, mamãe. Eu não sabia como consertar a boneca. Só fiquei lá para ajudar Julie a chorar.

Adaptação de história de Dan Clarck, intitulada A boneca quebrada, do livro Histórias para aquecer o coração das mães, de Jack Canfield, Mark Victor Hansen, Jennifer Read Hawthorne e Marci Shimoff, ed. Sextante.

Avaliação:

Através de perguntas e respostas


Profa.Cris

Nenhum comentário:

Postar um comentário