Pesquisar este blog

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Justiça Divina - aula juventude - 19/04/2014

Aula Justiça Divina

Tema do mês: MUNDO ESPÍRITA                                                          Data: 19 Abr 2014

Tema Central: Deus

Objetivo Formativo: Desenvolver sentimento de gratidão e reverência a Deus.
Objetivo Informativo: Reconhecer que a essência divina está presente em todo o universo.
Objetivo da aula: Diferenciar fé da sorte e mostrar como a justiça divina atua em todos os acontecimentos de nossas vidas.


Prece inicial: 03´

Incentivo Inicial: Identificando Nossos Valores - 15’

Evangelizador distribui a cada evangelizando um cartão com um valor descrito, por exemplo: humildade, sinceridade, generosidade, sabedoria, paciência, etc.
Após cada um receber o cartão, permite-se que um momento para reflexão pessoal (aguns minutos rápidos).
Em seguida, pede-se que cada um diga se considera possuir o mesmo o valor que está em seu cartão ou não e, também, se reconhece no grupo alguém que tenha o mesmo valor (preferencialmente, todos deverão reconhecer esse valor/virtude em alguém presente na sala).
Encerrar a dinâmica com as perguntas:
- Podemos dizer que todas essas e mais virtudes / valores fazem parte do ser humano?
- Se não, como elas foram parar em nós? Nós aprendemos isso?
- Quem não expressa / tem essas virtudes é um azarado?
- E Deus, tem algo a ver com essas virtude / valores?

Desenvolvimento: O Hóspede – 30’

Evangelizador reúne todos formando um pequeno círculo e inicia a leitura de uma história, pedindo que prestem atenção no que vai acontecer com os personagens da história.

Após a breve leitura, perguntar aos participantes: “Que tipo de pessoa é essa?”

Dar alguns minutos para que o grupo responda e por fim, revelar: é um bebê!

Ir anotando no quadro as respostas que forem surgindo e tentar separá-las por categoria, ex: julgamentos, críticas, elogios...

A partir da revelação, a forma de perceber a história muda e passa-se à discussão da necessidade de compreender o próximo, de perceber como Deus criou a natureza do homem, focar nas Leis Divinas, em diferenciar nossa visão/julgamento sobre as coisas das coisas como realmente são, a bondade de Deus, a vida como escola e meio para evolução, etc. Correlacionar os comentários sobre que tipo de pessoa era o protagonista da história com estes temas a serem discutidos, mostando como percebemos o mundo, a vida e Deus de acordo com nossos próprios olhos/experiências individuais...

Reforçar que Deus está acima de nossas percepções, pois foi ele a causa, o criador de tudo e de toda perfeição que somos capazes de conceber....

Fixação:  Momento reflexão – 10’

Então, se Deus faz tudo perfeito, se Deus é amor e criou as Leis Divinas e Eternas, se temos as virtudes que identificamos no início da aula e podemos aprender a desenvolvê-las em nós, não sendo caso de sorte de uns e azar de outros, porque certas coisas acontecem na vida?

- Porque crianças boas e cheias de virtudes sofrem? (exemplos: crianças que nascem com doentes, que desenvolvem um câncer, cegas, com doença incurável tipo HIV...)
- Porque pessoas inocentes morrem tragicamente? (ex: pessoas assinadas brutalmente, queda do avião da TAM...)
- Porque pessoas inocentes sofrem tanto? (Ex: jovens que sofrem abuso sexual em casa, pessoas inocentes que são condenadas à anos de prisão...)

A justiça divina está sempre atuando, em todas as circunstâncias!

Quanto mais longe das Leis de Deus, mais sofrimento o homem passará, mais dor, mais maldade... Lembram-se do filme da aula da tia Cris, onde Eistein dizia que a maldade não é criação divina, mas é a ausência do amor no coração dos homens... O amor faz parte da justiça divina, pois Deus é amor...
As ocorrências em nossas vidas (tragédias, doenças, “coisas que achamos injustas”, dores...) acontecem da maneira como são devido às nossas escolhas (livre arbítrio) e distanciamento de Deus, por ex: quando tratamos um gatinho / cachorro / pássaro / peixinho com carinho, significa que escolhemos respeitar essa vida e dar amor à ela. Assim ocorre quando tratamos uma outra pessoa desta mesma maneira. O contrário é verdadeiro, se o tratamos com revolta, indiferença e/ou brutalidade, significa que escolhemos desrespeitar essa vida e, com isso, nos distanciamos do Deus e damos abertura à maldade, energias negativas e atração de espíritos que caminham nessa vibração...

Nas duas situações teremos uma consequência, na primeira teremos juntos de nós mais amor, respeito, felicidade... na segunda situação teremos junto de nós mais sofrimento, dor e maldade... Assim, algumas das tragédias que vemos estão relacionadas à estas escolhas que fazemos nesta ou em outras vidas...

Além disso, outras situações de doenças e mortes trágicas também acontecem com o objetivo de ensinar, evoluir... ex: uma criança que desenvolve um câncer raro e incurável no cerébro pode ter escolhido passar por isso, nesta vida, para ajudar os pais a compreenderem que mais vale a vida do que os bens materiais que eles podem oferecer aos seus filhos, ensinando assim, o valor da vida e não da matéria... Por isso, não faz sentido acreditar que a família foi azarada ou que a criança não teve sorte na vida. Muito menos pensar que as crianças que crescem saudáveis e as famílias que não têm estes tipos de problemas são sortudas, como se as coisas ocorressem ao acaso.... Deus escreve certo por linhas retas... nada acontece ao acaso... tudo tem uma razão de ser como é!

Algumas pessoas que nesta vida nos parece sofredores inocentes, como no caso de crianças que são assassinadas pelos pais, podem ter causado, em vida anterior, o mesmo tipo de morte às pessoas que hoje são seus pais... isso não quer dizer que eles tenham vindo juntos nesta vida, novamente, para se pagar com a mesma moeda, mas tiveram a chance divina de poderem refazer esta história de maneira diferente, com o perdão e evolução do amor entre eles...

Deus, em sua perfeição, magnitude e amor, jamais colocará na vida das pessoas a maldade. Nós é que ainda estamos pequenos, imperfeitos e pouco iluminados para compreender como Deus nos ama e nos abençoa todos os dias, com a dádiva da vida, nos permitindo a cada instante da nossa existência a chance de acertamos, de fazermos o que quisermos novamente, mas desta vez, com amor, respeito, compreensão, tolerância, fé, atraindo luz e bondade, e aumentando a luz que nos é própria! 

Prece Final – 2’

Bibliografia:        



Livro – O Céu e o Inferno (Francisco Cândido Xavier)



 Prof. Isis

Um comentário:

  1. Senti falta do texto do desenvolvimento - "O hospede".

    ResponderExcluir